lirik.web.id
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

lirik lagu amaro – saber de mim

Loading...

[verso 1: amaro]
não ‘tou mais pesado pelo tirante
‘tou em pleno e bebo tisano
eles dizem que eu sou mau, sou tirano
e já me sinto quase a levitar
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
só olhas para mim quando eu ‘tou na moda
só p-ssas a bola porque eu estou na roda
ainda era quase virgem nisto
e já diziam que o puto era foda
já ‘tou a ficar velho com tanta nova escola
na minha altura só valia knowledge
mas vendo bem a minha altura nem chegou
então se chegar um dia vou abrir um college
‘tou com a patrulha do controlo
num beat com o zeca e o spliff
eu não me controlo
pus a fé no protocolo
e disse ao tropa, boy eu não vou por-te ao colo
sai da sombra, tu vais ser mais forte ao sol
com tanta merda que eu oiço já só me comporta o lol
catota que me entope em prole do scroll do insta
eu ‘tou com 75 na pele position
então tu não cantes de galo se já ‘tamos na crista
‘tou farto de viver na prega
fui estafeta e vês entrega
para ser a excepção da regra
vais ver ascensão na queda
vai ver quem é quem na quebra
e se alguém disser que tá limpo? tá limpo !
mas é só porque eu vim da merda

[refrão: spliff]
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
motherf-cker slowdown
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
‘tou a fazer o countdown
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
só verdadeiros around
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim

[verso 2: zeca 75]
agora só entro de pé juntos que juntos somos mais fortes
esgotei as barras que tinha para cuspir uns lingotes
tu não notas sem dotes virei as costas à sorte
ainda ‘tou de p-ssagem viagem sem p-ssaporte
dás-me o corte quando eu ‘tou mal
ligas quando eu ‘tou bem
tempestade num vendaval
não vales nada p’ra ninguém
um pãozinho sem sal
que fez de mim refém
e hoje o ideal é as rimas que um gajo tem
sem paciência dá-me cedência
vivência é uma ciência que tem tendência a questionar
levitei com o que escrevia dei amor à poesia
tardes quentes noites frias
foram taras e manias
se não sentes não dizias
se eu vingo avarias
querias que fic-sse no bairro
a ver a p-ssar os dias
mas eu mudei de planos com o p-ssar dos anos
levei moças fiz danos
vi visitantes falsos vi tantos
esses ficaram num canto
não é espanto entretanto
escrevo aquilo vivo
vivo aquilo que canto
spliff disse zeca boy tu corre o risco
é inevitável disse o amaro
fazemos o que é preciso
o que vives é fictício e no início tem piada
sacrifício foi inclino na minha primeira jornada
os que dão aplausos hoje ontem deram risada
mas eu ‘tou clean broda, não se p-ssa nada

[refrão: spliff]
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
motherf-cker slowdown
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
‘tou a fazer o countdown
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
só verdadeiros around
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim

[verso 3: spliff]
diz me muito modaf-cka slowdown
es um puto que nao pode lutar
executo esse broda no lugar
nunca viste qualquer morto a falar
estilo meio dominicano
dame um mic a querida ‘comes’
fode bem, eu não difamo
sorry não sou vaticano
bota lume e cutty sark
nunca vais aguentar
spliff zeca e amaro
podes vir que eu dou te murro
um prego não embala tudo
tu só vês com at-tude
quem se ri por ultimo
não andei no taekwondo
lo beat solo te matou
quando achares que já vi tudo
liga me em anónimo
muita boca podre sente lavagem
de dente quando a gente aparece
tudo o que te move sinto muito
mas eu digo que no fundo entristece
dizem que ta na moda mas eu lembro me
do tempo que esta merda era cashless
a ti eu não te via hoje dia companhia mais barata só num outjazz
sou um outcast
só caminho pelo rap
sem ter um carro de aluguer
e doa o que te doer
só me fazes crer que

[refrão: spliff]
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
motherf-cker slowdown
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
‘tou a fazer o countdown
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim
só verdadeiros around
e é quando eu ‘tou bem que queres saber de mim