lirik.web.id
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

lirik lagu 2contra1 (angola) – ficheiros

Loading...

[letra de “ficheiros”]

[intro: carpe diem]
geah, c~a~r~p~e
carpe diem
yeah, siga
escuta

[verso 1: carpe diem]
não vim do pó
vim das sinzas das bruxas de salem
os três reis, magos, erraram o endereço em belém
em cada verso que eu rimei cintilei
tu ainda ‘tas por decidir se copias a mim ou ao nga
se aqui há alguém que se assemelha, que se diga
que se ponha logo a carta na mesa, que se imprima
mas é improvável, o mono stereo que vos diga
sou uma obra prima à moda antiga, farol da alexandria
não há outra forma de mostrar que es capaz
larga os tenis adidas е traga as rimas rapaz
sou a cabeca de uma geração, tu еs só cabeça de cartaz
‘tou a dez anos à frente, rimando o que eu escrevi a à anos atrás
eu dou~te aula com prazer, carnal
tu nao passas de um ensaísta dos prazeres carnais
o anfitrião, quando há orgia o bac~n~l
mas o que eu faço por uma rima
está além do bem e do mal
vai com calma honey, não sejes tão ousado
não rima nitch onde os outros rimam calsados
eu rimo desconectado, com um trapo pa’ limpar filtros
os que medem a força de um verso pelos trocadilhos
nós não somo semelhantes, nah
olha para o céu, estive cá antes do jovem abreu contra o gigante filisteu
só que te escapa lógica, não tenho fim
nova escola é mono teista, até hoje não têm crença em mim
o rap abriu~me a visão, agora enxergo mas
talento é voz, hm, hm, não posso vê~lo
diógenes do movimento, ando com lamparina
ando com lamparina, luz do dia
à procura de um rapper honesto
há tantas vozes nas coroas destes kings
um verso meu é uma noite em auschwitz
meus raps fazem os livros de stepan king
pareceren passeatas de crianças em jardins
eu, afogo rappers sem a força dos braços
rapper pesado, arrasto o céu quando eu vou para baixo
minhas linhas não são modelo, são rijas e feias
mecias do rap, hoje é o meu corpo que comem na ceia
[verso 2: lyriko supremo]
mic check, eu disse mic check
no último feat degolei mc’s now how is next?
im just flex, believe im relaxed
‘tou no cimo da colina os n~ggas gritam
who’s the best
im the best no doubt, north, west, south
one mic, one stage, i move with the all crowd
hm, im just chilling, im just kidding
se levo a sério a track vira um cemitério
are you feeling?
barras mais duras than a hard d~ck
i bring the all clip, rio da a tua desgraça
man im so sick
pesados como o anselmo ralph
hey, so sweet
risco a vossa existência com uma pic
call me john wick
mas esquece isso, acredita que é só vaidade
tenho a certeza absoluta que temos assuntos mais importantes
a miséria dos angolanos, a pobreza espiritual
que causa danos
o auto engano e o cálice envenenado
vejo a falta de foco que tu imprimes
a reaplicação dos comportamentos mais sujos do regime
é hora de diluir, começar a contribuir
não basta só existir, é necessário evoluir
mas vejo muitos mesquinhos presos em ciclos viciosos
quere futuro glorioso com um presente ocioso
quem diria, tanta baixaria, carrego a artilharia
imigro para a linha da frente
infantaria, disparo todo o dia
[verso 3: mamy]
yeah, mamy, ficheiros
deusa do rap, d~mn
voltei com a caneta que exonera
super atleta, encontrei~me na meta
só aumento o meu currículo
com o rap tenho vínculo
articulo palavras que equivalem a fascículos
game na minha mão, agarrei pelos testículos
apertei tanto, fiz rappers gritarem versículo
ajoelha e reza, ‘tás a frente da tua deusa
olha a grandesa e despresa como exibo a minha proesa
inamotto sempre me chama, sabe que acendo a chama
provo que nunca se engana, com essa tirana
bem deitada na cama
pausada, ‘tou de pijama
cansada de todo o drama que fazem só para ter drama
‘tô bem quente tipo sol
teu gigante, sou uma estrela
tua guia, teu farol
todos ‘tão na minha tutela
de cana à guilhotina, inponho a disciplina
nova e velha escola, ‘tão todos a me dever propina
atitude em cima, trouxe o meu bloco de rimas
levanto poeira, construo a minha obra~prima
venho à tona, dizem mamy é demais yah
mamoite dessa zona, estilo edmasia
fazem cara de choro, sou o flow que cuia
não sou cerveja, não ponham o vosso cuca
comparações sem nexo e eu já ando farta
não discuto com essas rappers, aniquilo os ghost writters
sou negra, cabelo é coroa que vale mais que um puto dollar
quando opina fala atoa, um bom gindungo na tua boca
carapuças não servem, afro tá volumoso
cada dia ‘tou mais bonita até no bolso
[verso 3: sanguinário]
nova e velha escola
o que é que de facto se ensina?
a quem atrai insetos como lâmpadas que iluminam
econtrei o aplauso, de mim opinam sem receio
não construi o base com base no eu alheio
cago pro o movimento ouvindo ciro bertini
entendo a vossa andôló com três links do copini
abdominais diárias p’ra manter as entranhas
saudáveis diante de sucucus com lógicas estranhas
clean speech, atração p’ra sapio s~xuais
brainstorm construção de rimas virginais
mantenho o sorriso depois do scroll
como ousas enfrentar quem rivaliza com sol
no time, só losers (no time, só losers)
too late, game on fire
n~ggas ‘tão a perdir coming break, porra
podia~te acabar com as vaidades
só que milky boys, ‘tão no ouvido a sussurrar bondades
viajo com o homem que planeava aves
cuidado! filhos de peixes não subam árvores
transparência desde a rima off white
underground fresh, visão não aguenta spotlights
freetime, lendo conceito de estrema esquerda
[?] faço arte com a vossa merda
é sensato inovar o conteúdo
sem a tese da crítica com alcoolismo agudo
não socializo com idiotas
talvez no fim acabe sozinho
raiva produtiva brota, é uma sombra
criando sois com vários caminhos
me desfaço do que é feito p’ra fazer
me é confuso, tipo veres o inamotto depois me veres
sou pesado por mais que sismes
[¿] projeta a imagem de um sisne

[ponte]
ficheiros

[verso 4: phedilson]
chamam de febre, mas eu tou quente p’ra provar que o ventre da minha velha gerou um vulcão
quem supor igualdade entre nós que faça de supositório a sua suposição
e se é suposto, então saiba do segredo que me coloca em real sobreposição
é que se eles dizem que cuspo fogo é porque tenho um dragão chateado em cada pulmão
eu tou a vir na bisga a brisa avisa: fujam
o wi que bate da nguimbi à linha da azambuja
n~gga fiz magia a escrita fica supah
rija tipo a d~ck a avisar que vi canucas
chiça, digam à gina que disse na brinca, desculpa
fiz a rima assim pra a dica ficar numa
e não me irrita please evita briga, escusa
aquilo que fiz a n~ggas, fica tipo a rusga
aqui na banda nos anos noventa
se sou cinco vezes melhor que tu então esquece phedilson o novo nome é penta
teu conteúdo é tão pouco que cabe num tweet e o meu tão vasto que nem cabe em sebentas
só não és corno porque todos os boyz da alcateia acham a tua namorada nojenta
tão sombrio que acho que a minha massa cinzenta agora deu pra preta, tá mais escura
a censura à cultura tá mais dura, eu juro a conjuntura anula a cura pura
e a tv dá audiência a tudo o que é secundário e o knowledge dos putos vem da rua
e a rua lhes educa, encanta
e diz~lhes que aprendam com rappers com tu
mas tu com essas letras cheias de nada
se pões a alma nos sons, então tens alma burra
já disse e repito que
esses rappers deixam~me enjoado
vou passar a comer kuduristas
não posso droppar chateado
senão todos os outros parecen coristas
n~ggas fofocam nos cantos
já não droppam, viraram ~n~listas
peçam furo na kano kortado e ~n~lisem as nossas conquistas